segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

E a professora inglesa não chegou a ser castigada.


O Presidente do Sudão perdoou o castigo à professora inglesa que havia sido condenada a 15 dias de prisão e deportação para a Inglaterra, perante os pedidos e a pressão Internacional, enquanto pelas ruas do Sudão os fanáticos, todos de branco, continuavam a exigir a pena de morte para a professora pelo simples facto de ela ter deixado uns putos com 7 anos... pôr o nome de Maomé a um ursinho de peluche.

A professora chegou hoje a Inglaterra... e terá muito para recordar.

Quando o bom senso impera, tudo tem solução. (FIM)

(tvs)

6 comentários:

elvira carvalho disse...

Ainda bem que tudo se resolveu. Tinha muito medo do que podia ter por causa do fanatismo daquela gente.Um abraço e uma boa semana.

Obrigada pelos mails. Passado o Natal eu vou ter mais tempo para retribuir a atenção dos amigos.
Se quiser dar uma voltinha pelo Minho http://artdecorativa.blogstop.com/
Um abraço

Luz disse...

Por muito que tente respeitar a diferença cultural não consigo entender como é possível estes povos não evoluírem.
De certo ainda vêem o perdão da pena como um feito. Temos de agradecer de facto o perdão, mas não pela gentileza, apenas por aquela senhora não ter de passar por tal barbaridade.

Beijinho

Luz

Entre linhas... disse...

Caso para dizer a Religião é um ópio do povo e Karl Marx tinha toda a razão quando a proferiu...
Bjs Zita

Som Do Silêncio © disse...

O fanatismo leva a atitudes impensáveis!
Ainda bem que tudo se resolveu.
Beijo sereno

Daniela disse...

Aqui não consigo de todo respeitar a diferença cultural, para mim isto é fanatismo puro e grosso...

Cati disse...

Final feliz, portanto. Os fanáticos que se matem lá pelas ruas.

Beijocas