quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Dia de S. ANDRÉ - Apóstolo e Mártir...



S. ANDRÉ (Andreas; século I d.C.), conhecido na tradição ortodoxa como Protocletos,

(o "primeiro [a ser]
chamado")
,

foi um APÓSTOLO CRISTÃO, irmão de São Pedro.


O Novo Testamento regista que Santo André era irmão de São Pedro, pelo que se pode concluir que ele também era filho de Jonas, ou João (Mateus 16:17; João 1:42). Nasceu em Betsaida, às margens do Mar da Galileia (João 1:44). Tanto ele quanto seu irmão Pedro eram pescadores, por profissão, e segundo a tradição Jesus teria-os chamado para serem seus discípulos dizendo que faria deles "pescadores de homens". André também teria ocupado a mesma casa que Jesus, no início da vida pública deste, em Cafarnaum. (Marcos 1:21-29) .

O Evangelho segundo João conta que André era um discípulo de João Baptista, cujo testemunho levou o próprio André e João, o Evangelista, a seguirem Jesus (João 1:35-40). André imediatamente reconheceu Jesus como o Messias, e apressou-se a apresentá-lo a seu irmão (João 1:41). A partir daí os dois irmãos se tornaram discípulos fiéis de Jesus. Numa ocasião posterior, antes do derradeiro chamado ao apostolado, passaram a ser companheiros mais íntimos, e abandonaram todos os seus pertences para seguir Jesus (Lucas 5:11; Mateus 4:19-20; Marcos 1:17-18).

André é mencionado nos evangelhos como estando presente em diversas ocasiões de importância, como um dos discípulos mais próximos de Jesus (Marcos 13:3; João 6:8, João 12:22); os Actos dos Apóstolos apenas o mencionam uma única vez (Actos 1:13).

Eusébio de Cesareia, citando Orígenes, conta que André pregou na Ásia Menor e na Cítia, ao longo do mar Negro, chegando até o rio Volga e Kiev - daí que se tenha tornado padroeiro da Romênia e da Rússia. De acordo com a tradição, teria fundado a sede de Bizâncio (Constantinopla), em 38 d.C., e instaurado Estácio como bispo. Esta diocese iria posteriormente transformar-se no Patriarcado de Constantinopla, do qual André é reconhecido como santo padroeiro.


André teria sofrido o martírio através da crucifixão, em Patras (Patrae), na Aquéia (Grécia) no ano 60 d.C. Segundo a tradição, André teria sido crucificado numa cruz do tipo conhecido como Crux decussata ("cruz em forma de 'x'"), comumente conhecida como "cruz de Santo André", e que isto teria sido feito a pedido dele próprio, que se julgava indigno de ser crucificado no mesmo tipo de cruz que havia sido usada para crucificar Cristo.

O destino de suas relíquias varia de acordo com as diversas tradições de sua lenda; seus ossos, inicialmente em Patras, cidade da qual Santo André é o patrono, teriam sido levados para Constantinopla, por decreto imperial, onde foram exibidas num triunfo magnífico em 3 de março de 357, quando chegaram à capital do Império Romano do Oriente, até seu lugar de repouso final, na Igreja dos Apóstolos. Durante a Quarta Cruzada (1203/1204) foram roubadas pelos cruzados - supostamente para protegê-los dos turcos. A cabeça do santo, considerada um dos tesouros da Basílica de São Pedro, seria um presente do déspota bizantino Tomás Paleólogo ao papa Pio II, em 1461. Recentemente, por decisão do papa Paulo VI, em 1964, as relíquias que ainda eram mantidas no Vaticano, que consistiam de um dedo, parte do topo do crânio e pequenos pedaços da cruz, foram enviadas de volta a Patras - onde são mantidas na Igreja de Santo André, num santuário especial, e reverenciados anualmente a 30 de novembro - acto que foi visto como um gesto de reaproximação entre as igrejas Romana e Ortodoxa. Uma tradição escocesa afirma que as relíquias teriam sido levadas para o país, mais especificamente a cidade que leva o seu nome, Saint Andrews; a bandeira da Escócia apresentaria a sua cruz, que, após a união da Escócia com a Inglaterra, também passaria a fazer parte da bandeira do Reino Unido.


Relicário contendo restos de Santo André, em Patras.

Dia litúrgico de S. André - 30 de Novembro (Hoje).

(Créditos: Wikipédia/Google)

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Dia de Santa Catarina Labouré - Vidente francesa da Virgem Maria, nossa MÃE!...


Santa Catarina Labouré

28 de Novembro - Dia litúrgico (ou 27? Abaixo a explicação)

(No dia 27 de novembro a Igreja comemora a Festa de Nossa Senhora das Graças e da Medalha Milagrosa. Um dia depois, 28 de novembro, é a festa de Santa Catarina Labouré, a jovem freira que foi escolhida por Nossa Senhora para ser a mensageira da Medalha Milagrosa).


Santa Catarina Labouré


Santa Catarina de Labouré (também conhecida por Zoe Labouré ou Catarina Labore) nasceu em Borgonha (França) a 2 de maio de 1806. Era a nona filha de uma família que, como tantas outras, sofria com as guerras napoleónicas.

Aos 9 anos de idade, com a morte da mãe, Catarina assumiu com empenho e maternidade a educação dos irmãos, até que ao findar desta sua missão, se colocou a serviço do Bom Mestre, quando se consagrou a Jesus na Congregação das Filhas da Caridade. "Foi através de um sonho que teve com São Vicente que ela escolheu a Ordem em que entrou".

Aconteceu que, em 1830, sua vida se entrelaçou mais intimamente com os mistérios de Deus, pois a Virgem Maria apareceu a Santa Catarina, a fim de enriquecer toda a Igreja e atingir o mundo com sua Imaculada Conceição.


Nossa Senhora apareceu por três vezes (ou 7 ?) a Santa Catarina Labouré.

Primeira Aparição: a 19 de Julho de 1830 , pelas 11.30h na Capela Rue do Bac, 140 - Paris. Santa Catarina disse:

"A Santíssima Virgem apareceu ao lado do altar, de pé, sobre um globo com o semblante de uma senhora de beleza indizível; de veste branca, manto azul, com as mãos elevadas até à cintura, sustentava um globo figurando o mundo encimado por uma cruzinha. A Senhora era toda rodeada de tal esplendor que era impossível fixá-la. O rosto radiante de claridade celestial conservava os olhos elevados ao céu, como para oferecer o globo a Deus. A Santíssima Virgem disse: Eis o símbolo das graças que derramo sobre todas as pessoas que mas pedem''.

Segunda Aparição: a 27 de Novembro de 1830, pelas 05.30h no mesmo local.

Na Terceira Aparição ou Aparições (já que consta que a Virgem Santíssima terá aparecido 5 vezes, em 1831, sempre para falar da Medalha Milagrosa) , Nossa Senhora insiste nos mesmos pedidos e apresenta um modelo da medalha de Nossa Senhora das Graças. Na última Aparição, Nossa Senhora diz: "Minha filha, doravante não me tornarás a ver, mas hás-de ouvir a minha voz em tuas orações".


Somente no fim do ano de 1832, a medalha que Nossa Senhora viera pedir foi cunhada e espalhada aos milhões por todo o mundo.

Como disse Sua Santidade Pio XII, esta prodigiosa medalha "desde o primeiro momento, foi instrumento de tão numerosos favores, tanto espirituais como temporais, de tantas curas, proteções e sobretudo conversões, que a voz unânime do povo a chamou desde logo "medalha milagrosa".

Esta devoção nascida a partir de uma Providência Divina e abertura de coração da simples Catarina, tornou-se escola de santidade para muitos, a começar pela própria Catarina que muito bem soube se relacionar com Jesus por meio da Imaculada Senhora das Graças.

Santa Catarina passou 46 anos de sua vida num convento, onde viveu o Evangelho, principalmente no tocante da humildade, pois ninguém sabia que ela tinha sido o canal desta aprovada devoção que antecedeu e ajudou na proclamação do Dogma da Imaculada Conceição de Nossa Senhora em 1854.

Já como cozinheira e porteira, tratando dos velhinhos no hospício de Enghien, em Paris, Santa Catarina assumiu para si o viver no silêncio, no escondimento, na humildade. Enquanto viveu, foi desconhecida.


Santa Catarina Labouré entrou no Céu a 31 de dezembro de 1876, com 70 anos de idade. Quando o seu corpo foi exumado, depois de 57 anos de sepultamento, ele foi encontrado completamente incorrupto e flexível. Seus olhos eram azuis como no dia em que morreu.

Foi beatificada em 1933 pelo Papa Pio XI e canonizada em 1947 pelo Papa Pio XII.

(Créditos: www.cancaonova.com/http://www.marypages.com/Wikip/Google)

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

25 de Novembro de 1975 - Dia da "Reposição" da Democracia!...

Em Novembro de 1975, Portugal esteve à beira de uma Guerra Civil.

CRONOLOGIA:

7 de Novembro de 1975:

Por ordem do Governo, chefiado pelo Almirante Pinheiro de Azevedo, já falecido, o recém criado AMI, faz explodir os emissores da Rádio Renascença.
Confrontos violentos na região de Rio Maior entre representantes das UCP's e Cooperativas Agrícolas da Zona de Intervenção da Reforma Agrária (ligadas ao sector do trabalhadores rurais) e representantes da CAP - Confederação de Agricultores Portugueses, instituição ligada aos interesses dos proprietários agrícolas.

12 de Novembro de 1975:

Manifestação de trabalhadores da construção civil cerca o Palácio de S.Bento sequestrando os deputados.

15 de Novembro de 1975:

Juramento de bandeira no RALIS - os soldados quebram as normas militares que regulamentam os juramentos de bandeira e fazem-no de punho fechado.

20 de Novembro de 1975:


O Conselho da Revolução decide substituir Otelo Saraiva de Carvalho por Vasco Lourenço no comando da Região Militar de Lisboa.

O Governo anuncia a suspensão das suas actividades alegando "falta de condições de segurança para exercício do governo do país".

Manhã de 25 de Novembro de 1975:

Na sequência de uma decisão do General Morais da Silva, CEMFA, que dias antes tinha mandado passar à disponibilidade cerca de 1000 camaradas de armas de Tancos, paraquedistas da Base Escola de Tancos ocupam o Comando da Região Aérea de Monsanto e seis bases aéreas. Detêm o general Pinho Freire e exigem a demissão de Morais da Silva. Este acto é considerado pelos militares ligados ao Grupo dos Nove (Melo Antunes e outros) como o indício de que poderia estar em preparação um golpe de estado vindo de sectores mais radicais, da esquerda. Esses militares apoiados pelos partidos políticos moderados PS e PPD, depois do Presidente da República, General Francisco da Costa Gomes ter obtido por parte do PCP a confirmação de que não convocaria os seus militantes e apoiantes para qualquer acção de rua, decidem então intervir militarmente para controlar inequivocamente o destino político do país. Assim:

Tarde de 25 de Novembro de 1975:


Elementos do Regimento de Comandos da Amadora, comandados pelo Coronel Jaime Neves, cercam o Comando da Região Aérea de Monsanto.

Noite de 25 de Novembro de 1975:

O Presidente da República decreta o Estado de Sítio na Região de Lisboa. Militares afectos ao governo, da linha do Grupo dos Nove, controlam a situação.

Prisão dos militares revoltosos que tinham ocupado a Base de Monsanto.

26 de Novembro de 1975:


Comandos da Amadora atacam o Regimento da Polícia Militar, unidade militar tida como próxima das forças políticas de esquerda revolucionária, tendo prendido o Major TOMÉ e outros militares.

...Mais tarde, diante das câmaras da R.T.P., o capitão Sousa e Castro, do Conselho da Revolução, diria que assistindo ao combate de uma janela do Palácio de Belém, vira claramente civis armados que disparavam contra os Comandos.

Após a rendição da PM, há vítimas mortais de ambos os lados.
“No incidente originado pelas forças do Regimento de Polícia Militar com o Regimento de Comandos, verificou-se a morte do Tenente Comando José Eduardo Oliveira Coimbra, do 2º Furriel Miliciano Comando Joaquim dos Santos Pires e do Aspirante Miliciano José Albertino Ascenso Bagagem.

Neste momento, além de lamentar profundamente que portugueses se matem entre si, não pode o Estado Maior General das Forças Armadas deixar de condenar veementemente a acção de grupos de civis armados”.

Prisões dos militares revoltosos..

27 de Novembro de 1975:

Os Generais Carlos Fabião e Otelo Saraiva de Carvalho são destituídos, respectivamente, dos cargos de Chefe de Estado Maior do Exército e de Comandante do COPCON.


O General António Ramalho Eanes é o novo Chefe de Estado Maior do Exército.

Por decisão do Conselho de Ministros a Rádio Renascença é devolvida à Igreja Católica.

28 de Novembro de 1975:

O VI Governo Provisório retoma funções.
O Primeiro-Ministro discursa na televisão, e numa alocução breve mas elucidativa, referia que “...uma vez mais, a serenidade das Forças Armadas pode evitar a deflagração de uma generalizada confrontação violenta mas que apesar disso, há que lamentar a perda inútil de três vidas”. O Almirante Pinheiro de Azevedo “curvou-se” perante a dor das famílias e acompanhou “no seu luto a família portuguesa”. Mas o chefe do Governo marcou logo na frase a seguinte distinção:

“Perante a memória dos dois briosos militares que morreram no cumprimento do dever, reverentemente me inclino, num gesto de merecida homenagem”.

Mais adiante, o Primeiro-Ministro diria:”...que ninguém seja condenado sem prévio julgamento, precedido das mais amplas garantias de defesa. Quem defende a liberdade e a democracia, não pode escamotear a justiça”.

O Conselho de Ministros promete o direito de reserva aos donos de terras expropriadas.

---
Nota: do General Gabriel Augusto do Espírito Santo:

Portugal tinha de continuar na construção da Liberdade e Democracia que tinham sido prometidas em 25 de Abril, no pluralismo e nos actos formais que requerem essa Democracia.

A intervenção militar em 25 de Novembro de 1975 por parte de elementos e unidades das Forças Armadas, que interpretando um sentimento nacional maioritário se opuseram a uma direcção política que, pela força e na rua, procurava conquistar o poder, reclamando legitimidade não conferida, marca uma intervenção visando, com conhecimento e sob a direcção superior do Presidente da República, em primeiro lugar, restituir à Instituição Militar o seu carácter nacional e não ao serviço de forças políticas, de forma a retomar o seu papel de garante de uma transição para um regime constitucional que a Nação ainda não tinha definido. Com essa intervenção, decisiva mas que ainda fez baixas entre militares no cumprimento de ordens dos seus comandantes, foi possível reiniciar o caminho para a Democracia.

O 25 de Novembro de 1975 materializou também o início da educação democrática das Forças Armadas, que desde então têm percorrido um caminho exemplar de profissionalismo, e o retomar do seu papel institucional no Estado democrático. Garantindo o regular funcionamento das instituições e permitindo que, em Liberdade, a Nação e sua população decidam, quando chamadas a tal, sobre o caminho que desejam prosseguir.

---
Estes são os factos. Aqueles que quiseram implantar, neste dia, um regime totalitário de esquerda e extrema-esquerda, mais própriamente uma Ditadura Comunista, indo contra os ideais do IDEÓLOGO do 25 de Abril de 1974, o CAPITÃO SALGUEIRO MAIA, já falecido, "perderam assim a sua luta"
---

* ADITAMENTO:

- JAIME NEVES, promovido a Major-General em 14-04-2009, viria a falecer (RIP) no Hospital Militar Principal, em Lisboa, no dia 27-01-2013 aos 76 anos de idade. Participou na "Revolução dos Cravos", em 25 de Abril e no 25 de Novembro de 1975, que travou o "PREC esquerdista".



(Créditos: Blog dos ComandosWeb44/Puxa palavra/Revista Militar/Google)

terça-feira, 22 de novembro de 2011

KATIE MELUA - Um delicioso momento musical....




Canção: The Closest Thing To Crazy.

Katie Melua, que nasceu na Geórgia (Rússia)em 1984, mas é também naturalizada britânica, é uma das melhores vozes que alguma vez ouvi. Tem um timbre enternecedor. Esta balada é simplesmente MARAVILHOSA!... (Cantou-a em 2005 nos Music Awards). TEM 27 anos!...e é linda "de morrer"!!!!!

domingo, 20 de novembro de 2011

Dia de Nosso Senhor JESUS CRISTO - Rei do UNIVERSO.



Celebra-se hoje o Dia de NOSSO SENHOR JESUS CRISTO - REI DO UNIVERSO (Festa Móvel).

Chegámos ao final de mais um ano litúrgico.(O último domingo do ano litúrgico, o 34º do Tempo Comum). Durante trinta e três domingos fomos exortados pelo evangelista Mateus a aprender e compreender sobre o que vem a ser a justiça de Deus. E, fechando este ano litúrgico, especialmente hoje, Mateus vem nos mostrar que no reino de Jesus deve prevalecer a Justiça, a Vida e a Liberdade - direitos inalienáveis dos filhos e filhas de Deus -.
Porém, a garantia desses direitos depende de cada um de nós. Para tê-los é preciso aceitar o reino inaugurado por Jesus, e colocar-se como instrumento de antecipação desse reino no meio de nós. Só assim alcançaremos o merecimento de ver Jesus em sua majestade e realeza.

O Ano Cristão começa com o Advento (os quatro domingos anteriores ao nascimento do Messias) e termina com a coroação de CRISTO - Rei do Universo.

(Créditos: Blogues vários, S.Mateus (Evangelho).)

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Cão obediente!.......................(fantastic)


video

O que um animal, bem treinado, é capaz de fazer!

Simplesmente genial!

Enjoy it!


sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Dia de S. Martinho (de Tours) - Santo e Bispo



S. MARTINHO

São Martinho de Tours, era filho de um Tribuno e soldado do exército romano. Nasceu e cresceu na cidade de Sabaria, Panónia (actual Hungria), em 316, sob uma educação da religião dos seus antepassados, deuses mitológicos venerados no Império Romano. Aos 10 anos de idade, entrou para o grupo dos catecúmenos (aqueles que se estão preparando para receber o baptismo). Aos 15 anos, e contra a própria vontade, teve de ingressar no exército romano e dirigir-se para a Gália (região na actual França).


Foi nessa época que ocorreu o famoso episódio do manto. Um dia um mendigo que tiritava de frio pediu-lhe esmola e, como não tinha, o cavalariano cortou seu próprio manto com a espada, dando metade ao pedinte. Durante a noite o próprio Jesus lhe apareceu em sonho, usando o pedaço de manta que dera ao mendigo e agradeceu a Martinho por tê-lo aquecido no frio. Dessa noite em diante, ele decidiu que deixaria as fileiras militares para dedicar-se à religião.


Assim, aos 18 anos abandonou o exército pois o cristianismo não comportava mais suas funções militares. Foi baptizado por Santo Hilário, bispo da cidade de Poitiers.


Aos 22 anos foi Monge, mais tarde Diácono e tornou-se Bispo da cidade francesa de Tours em 371 (com 55 anos de idade) "por aclamação popular", pois pessoalmente preferira recusar o cargo.

Dizem os escritos que, nesta época, havia recebido dons místicos, operando muitos prodígios em beneficio dos pobres e doentes que tanto amparava.

Exerceu o bispado durante vinte e cinco anos e, aos oitenta e um, estava na cidade de Candes, quando morreu no dia 8 de novembro de 397. Sua festa litúrgica é comemorada no dia 11 de Novembro, data em que foi sepultado na cidade de Tours.

"... No dizer de Durando de Mende, a liturgia consagra-lhe um lugar semelhante aos dos Apóstolos, por ter sido ele quem concluiu a evangelização das Gálias. A sua festa era de guarda e favorecida frequentemente pelos dias de "verão de São Martinho", rivalizando, na exuberância da alegria popular, com a festa de S. João. Tinha Oitava como S. Lourenço, porque S. Martinho, "pérola dos sacerdotes", era entre os Confessores o que S. Lourenço era entre os Mártires, o maior dos Confessores.

Mas em França, a expressão "Verão de S. Martinho" é associada ao facto milagroso de terem florido as plantas, reverdecido as árvores e os pássaros terem começado a cantar, à passagem do corpo do Santo, levado de barco de Candes, para Tours.

Venerado como São Martinho de Tours, tornou-se o primeiro Santo "não mártir" a receber culto oficial da Igreja e tornou-se um dos Santos mais populares da Europa medieval.

(Hoje também é dia de se fazer o MAGUSTO, se beber vinho, jeropiga e comer castanhas, tudo relacionado com a festa popular que se fazia em seu louvor)

(Créditos: Wikipédia, blogues, Google, Joseph 1)


terça-feira, 8 de novembro de 2011

GALA SOLIDÁRIA a favor da APPDA de Viseu - Associação de Apoio aos AUTISTAS





No Dia 2 de Dezembro de 2011, pelas 21h.,


uma vez mais a APPDA de Viseu vai realizar uma Gala Solidária para angariação de fundos para esta Associação de Apoio aos Portadores de AUTISMO.
A todas as pessoas que se puderem deslocar a Viseu para assistir à referida GALA, desde já o nosso agradecimento. Se puderem divulgar este pedido, tanto melhor. Gostaríamos de ter CASA CHEIA!

Aproveitamos para informar que, no programa vão estar presentes, entre outros, a ISABEL SILVESTRE, o declamador de Viseu que esteve presente no programa da SIC (PORTUGAL TEM TALENTO), Guilherme Gomes, o Fadista Jorge Menino, etc.

Cordialmente,
Maria Helena Vieira



APPDA-Viseu - Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo
Departamento de Psiquiatria do Hospital de São Teotónio, 2º Piso - Abraveses
3515-114 Viseu
Contactos: 232452069 / 927404731/ 962987639
Nif: 506479811
Nib:003509300014374793021 (CGD)
Email: geral@appdaviseu.com; appdaviseu@teotonio.ipv.pt
Web: www.appdaviseu.com

sábado, 5 de novembro de 2011

Dia dos Santos S. ZACARIAS e Santa ISABEL....




Santa Isabel (à dtª na pintura) e S. Zacarias (em baixo)

Viveram no primeiro século e foram os pais de João Baptista (o Baptizador), santo que antecedeu Jesus e O baptizou. Eram primos. Tudo o que sabemos deles é encontrado no primeiro capitulo do Evangelho de São Lucas.

Eram ambos muito honestos e íntegros aos olhos do Senhor observando todos os mandamentos e os ensinamentos de Deus com alegria. Zacarias era um sacerdote (profeta) no Velho convento e Isabel era da família de Araon.

Quando o casal já se encontrava em idade avançada, o anjo Gabriel apareceu a Zacarias quando este se encontrava no templo oferecendo incenso, tendo anunciado que Isabel iria ter um filho que se chamaria João, atendendo assim às suas preces.
Talvez para prevenir que Zacarias pecasse contra a fé e a esperança, dado ter ficado só meio confiante sobre o que o anjo disse, ele ficou (mudo) sem conseguir falar, até ao nascimento do seu filho que era para ser chamado João, " aquele que receberia o Espirito Santo ainda no útero de sua mãe, e que traria muitos filhos de Israel de volta para o Senhor seu Deus".

Isabel então concebeu, tendo então se ocultado das vistas das pessoas pelo tempo de cinco meses.

No sexto mês de gestação de Isabel, sua prima Maria também recebeu uma "promessa" através do anjo Gabriel e concebeu do Espírito Santo e, quando esperava Jesus em seu ventre, foi visitá-la nas montanhas de Judá. Isabel, recebeu a visita de Maria e esta cantou um hino de homenagem a Isabel, hoje conhecido como o "Magnificat" embora alguns manuscritos indiquem que foi Isabel quem teria cantado o hino.

Na época, em geral, uma criança receberia o nome de um parente já falecido. Isto era o que os amigos e vizinhos de Isabel e Zacarias esperavam, mas Isabel insistiu que ele deveria se chamar João.

Segundo Lucas, no momento em que Maria entrou na casa de Zacarias, ao saudar sua prima, João Baptista teria pulado em seu ventre e ela ficou cheia do Espírito Santo.

Quando a criança nasceu e foi circuncidada ao oitavo dia, segundo a tradição judaica, as pessoas desejavam que o menino recebesse o nome do pai. Isabel respondeu que o nome do filho seria João. Zacarias então "voltou a falar" e confirmou as palavras de Isabel escrevendo o seu nome em uma tábua, conforme o anjo havía lhe havia determinado.

A partir de então, a Bíblia nada mais fala a respeito da vida de Zacarias e de Isabel, tendo Lucas limitado a dizer que o João Baptista "crescia, e se robustecia em espírito, e esteve nos desertos até ao dia em que havia de mostrar-se a Israel" (Lc 1:80).

Na arte litúrgica da Igreja Isabel é mostrada como uma senhora já idosa, segurando o filho João, o Baptista ; ou grávida saudando a Virgem.

Zacarias geralmente mostrado como um velho padre com uma vela e as vezes no nascimento de João ou ainda segurando uma vela iluminada.

No evangelho de São Lucas ela é mostrada com a Virgem Maria na "Visitação" onde a Santa recita o : " Salve Maria, Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus".

A tradição do catolicismo diz que Zacarias e Isabel teriam acompanhado a educação do filho, mudando-se para o deserto e fazendo da criança um nazireu, vindo Isabel a falecer em 22 d.C. e teria sido sepultada em Hebrom, quando João teria entre 28 a 29 anos de idade. (João nasceu no ano 2 a.C. e morreu, degolado a mando do Rei Herodes, no ano 30 d.C.).
A tradição ainda, apoiada por São Basílio e São Cyrilo da Alexandria, assegura que Zacarias morreu como um mártir, morto pelos romanos no templo "entre o pórtico e o altar" a mando de Herodes, porque ele recusou a revelar onde se encontrava seu filho João, cerca do ano 12 d.C..

[Entretanto, cumpre observar que os arquivos da Martirologia Romana não noticiam este incidente.].

O conhecido Cântico de Zacarias chamado hoje de "Benedictus" é diariamente rezado pelos cristãos na oração da manhã e faz parte do breviário.

"Bendito o Senhor Deus de Israel
Ele veio para salvar o seu povo
Ele nos elevará ao poderoso Senhor
Nascido da casa de seu servo David
Através de Seus poderosos profetas Ele prometeu
Que nos salvará de nossos inimigos
Das mãos daqueles que nos odeiam
Ele prometeu misericórdia ao nosso pais e
Lembrar do Sua sagrado convenção
Este foi o juramento que Ele jurou ao nosso pai Abraão
Nos livrar das mãos dos nossos inimigos
Nos livrar para adora-Lo sem medo
Integro e santamente a sua vista
Todos os dias de nossa vida
Você meu filho será chamado o profeta do Mais Elevado
Porque você irá preparar a chegado do Senhor
E preparar seu caminho
Para dar ao Seu povo o conhecimento da salvação e
O perdão de seus pecados
Na terna compaixão de nosso Deus
A alvorada das alturas cairá sobre nós
Para iluminar aqueles que estão nas trevas e nas
Sombras da morte, e guiar nossos passos
Para o caminho da paz ".

A festa de Zacarias e de Isabel é celebrada em conjunto no dia 5 de novembro, pela Igreja Católica.

(Créditos:Blog Cademeusanto/Wikipédia/Bíblia/Google/Joseph 1)


terça-feira, 1 de novembro de 2011

AUREA - talvez a melhor voz Portuguesa do momento...




Canção: BUSY (for me)

Intérprete: AUREA


Que tremenda balada!...