sábado, 29 de dezembro de 2007

APANHADO A TENTAR "VIOLAR" PROFESSORA !

Uma professora de 26 anos, moradora em Aveiro, foi vítima de uma tentativa de violação e roubo às mãos de um delinquente de 27 anos, apanhado em flagrante por uma patrulha da PSP, devidamente avisada, quando se preparava para consumar os crimes.

Tudo aponta para que este indivíduo seja o autor de 3 crimes de tentativa de violação ocorridos entre as 19 e as 23horas de sábado passado, nas imediações da estação da CP da cidade. Ao tentar socorrer a última das vítimas, um professor acabou por ser golpeado pelo suspeito, na altura munido com um x-acto.

O caso verificado esta quinta-feira, pelas 18.55horas, teve lugar “numa área mal iluminada e pouco movimentada”, perto da referida estação.
O suspeito, um jovem desempregado, abordou a vítima e, sob a ameaça de uma navalha, procurou arrastá-la, enquanto a beijava, para o interior das instalações abandonadas de uma fábrica, a Luzostela.

Ao detido são também atribuídos roubos de, pelos menos, 2 telemóveis. O indivíduo foi reconhecido pelas várias vítimas; preso, foi libertado no dia seguinte....
O processo continua em averiguações na Polícia Judiciária de Aveiro.

O novo Código Penal prevê a aplicação de uma pena de prisão até 1 ano (????) ou pena de multa até 120 dias (????) para “quem importunar outra pessoa (…) constrangendo-a a contacto de natureza sexual”.

In jornal 24horas
---------------------------------------------------------------

P.S. – Publiquei este post em homenagem às minhas caras amigas “professoras”, pois já não bastava levarem tareia dos alunos, dos pais dos alunos, serem ofendidas com
linguagem da mais ordinária, etc….e, face à “democracia que temos” não se poderem defender convenientemente.

4 comentários:

Vladimir disse...

é o país que temos, mesmo assim um dos mais seguros da Europa, segundo que dizem as estatísticas...

Sofia disse...

É o país que temos... como diz o Vladimir; infelizmente, deve ser o país da Europa em que menos cidadãos apresentam queixa à polícia - daí o resultado das nossas magníficas sondagens!

A tentativa de violação de uma professora não é mais grave do que uma tentativa de violação de um outro qualquer ser humano. Ainda assim, esta é, de facto, uma profissão difícil e que tem vindo a ser achincalhada por tudo e todos na praça pública e que mais desconsideração tem merecido da parte do governo e sindicatos. O desrespeito por ela é geral. Por que raio hão-de os miúdos da respeitar?! Não é esse o exemplo que vêm ao seu redor, no final de contas...

Um dia, Portugal perceberá que a profissão de professor é das que mais respeito exige. Está nas nossas mãos preparar o futuro do país e trabalhando contrariados e arrenpendidos por nos termos tornado professores, não vai contribuir para o crescimento do país em aspecto algum.

Obrigada Joseph, pelo teu post, pela tua chamada de atenção. É bom saber que há quem ainda reme contra a corrente. Bem-haja!

elvira carvalho disse...

Estou consigo na homenagem aos professores, hoje tão maltratados por toda a gente, a começar no próprio governo.
E o pior é que estes energúmenos, polulam pelo país, raras vezes são apanhados, e quando são, na maior parte das vezes em dois ou três meses estão outra vez na rua.
Um abraço e bom Domingo

Luz disse...

E ainda se espantam que se faça justiça pelas próprias mãos...

Mete-me tanto nojo imaginar este tipo de coisas... Nem quero imaginar o que deve sentir quem sofre isto na pele. É terrível com toda a certeza.

Também estou contigo no apoio aos professores como a todas as outras classes que também sofrem como eles mas infelizmente não se fala tanto. Mas tal como os apoio também apoio os alunos que por eles são mal tratados. Há muitos professores que de santos não têm nada, jamais deveriam leccionar. O meu filho sofreu isso na pele com apenas 6 anos, para além dele outras crianças da escola, não se faz. E olha que não tenho problema nenhum em dizer que essa professora merecia uns bons murros naquela cara, só não os demos porque somos mais educados e civilizados que ela (mas não sei se presenciasse uma agressão dela ao meu filho se me continha, tenho dúvidas), já me dou por feliz por ter conseguido que não continuasse a exercer...Confesso que depois do que aconteceu ao meu filho fico de pé atrás quando vejo uma notícia de agressão a professores, com o devido respeito por eles, muitas vezes questiono se fizeram ou não alguma coisa à criança. Nem todos os pais são tão pacíficos como eu...
Este assunto é dual.

Jinho

Luz