quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Visite o "blog da Cátia Rego". Ela precisa de desabafar.

A revista TV MAIS, desta semana, traz um artigo sobre uma jovem, natural de Barcelos, actualmente com 22 anos, estudante de Engenharia Electrotécnica e Computadores e Inglês, de seu nome Cátia Rego, que só em 4 anos já teve que lutar contra 3 cancros malignos, isto desde os 15 anos até aos 19 anos; Não se encontra ainda fora de perigo, mas há 3 anos que, graças a Deus, as coisas vão andando bem.
Entendeu, para dar voz à revolta e à dor, criar um blog http://lutapelavida.blog.com/, para falar sobre os comportamentos que observa à sua volta. Está bastante revoltada com um comentário que fizeram no seu blog, que, de tanto irritada que ficou, respondeu azedamente dando voz à sua “revolta”.
Namora há cinco anos e é com o namorado que normalmente desabafa e chora os dissabores da sua vida. A verdade é que a jovem nunca foi acompanhada por nenhum especialista, quer a nível psicológico quer emocional, pois acredita que “se a força não vier de dentro, ninguém consegue ajudar”.
Recomendo sinceramente a visita a este “blog” para dar força a esta jovem estudante, e animá-la nesta altura difícil da sua vida.
Da minha parte, sempre com Fé e Esperança, um beijinho Catita.

4 comentários:

Entre linhas... disse...

Lembro-me desta situação infelizmente no programa da Fátima Lopes, a coragem desta menina como encara esta doença devastadora,ela é de uma força de algo que a transcende,um exemplo a seguir por muitas pessoas.
Quanto aos comentários anónimos que ela recebeu é de lamentar o comportamento vazio de certas pessoas,que julgam que se encontram imunes..mas quando ela bate á porta é devastadora...
Resta-me e nas minhas simples palavras que Deus ajuda esta menina e que mantenha sempre com muita força e muita fé,Deus é grande.
Bjs Zita

elvira carvalho disse...

Que Deus a ajude e a livre de pessoas que não teem sensibilidade.
Tenho um blog que visito todos os dias em que um amigo virtual, luta com um tumor maligno na cabeça. É impressionante a força de vontade dele.
www.salvadorvazdasilva.blogspot.com
Se quiser passar por lá e dar uma palavra de apoio moral, força.
Um abraço

Anónimo disse...

Bom Dia,
Não sei como começar a dizer o que me vai na alma, porque ainda me é muito dificil, mas cá vai...
Acabei de perder o meu Pai no dia 1/06 com cancro nos pulmões.
Foi diagnosticado ao meu Pai no dia 16/11/2007 um cancro maligno nos pulmões com 48 mm, o meu Pai tinha 62 anos. A médica quando informou ao meu Pai o que ele tinha deixou bem claro que ele tinha poucas hipoteses uma vez que este tipo de cancro e nesta idade é muito "galopante". O certo é que o meu Pai só conseguiu fazer 4 ciclos de quimioterapia, umas quantas vezes não o podia fazer porque estava demasiado fraco e as plaquetas em baixo.
Ele lutou até ao fim, ele dizia que ía vencer este maldito cancro, mas infelizmente não conseguiu.
Mas no meio disto tudo o que me deixa mais triste é que a primeira vez que falei com a médica de oncologia que ía seguir o meu Pai, disse-me com a mair cara de pau "...olhe sabe eu vou fazer quimioterapia ao seu pai, mas porque tenho pena que ele ainda é muito jovem, mas pouco hà a fazer..." naquele momento apateceu-me mandar-lhe um estalo, mas pensei para comigo, não vale a pena, pode ser que um dia destes lhe aconteça algo e ela se lembre do que me disse.
O que eu quero dizer é que lute com todas as suas forças e se abestraía de todos aqueles que não entendem por aquilo que está a passar. A vida é demasiado curta para entrarmos em conflitos uns com os outros, por isso a proveite a vida da melhor maneira possivel junto daqueles que lhe são mais importantes e nunca deixe de acreditar que é possivel ultrapassar esta doença. Fique bem, bjs Judite

Anónimo disse...

Olá Kátia! Apesar de só hoje ter chegado até si, sinto que somos "irmãs" desde sempre!
Nada conheço o seu historial, como doente, mas adivinho a imensidão da sua fé pelas palavras do seus amigos!
Eu não tive um blog mas sei do que se está a falar porque, tal como você senti gerar-se em torno de mim uma muralhaa feita de gente que me ama, e que me tendo tornado imune ao meu mal físico, me deu alento espiritual para, aos 75 anos, em Julho de 2006, enfrentar um diagnóstico de Cancro da mama, em novembro uma mastotomiae e em Março de 2007, 25 tratamentos de rádioterapia.
Aqui estou inteira e desejosa de partilhar o milagre da fé que nos salva!
Nunca olhar para baixo, nem avançar no negrume das angustias!
Caminhar para cima, para o alto, para a luz!
Bem-haja minha amiga por nos saber transmitir essa sua força!