segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Poema - 13


BÚZIO DO MAR

Praguejam pescadores: Ora esta, ora esta,
O mar na praia é um tambor em festa!

Danado e rouco ele há lá quem o fateixe!
O mar não anda bom...
E som, e som, som-som,
Deita a fugir o peixe.

Meus patrícios, poveiros tal e qual
É a nobreza maior de Portugal!

Mesmo sou duma aldeia à beira-mar,
E ouço-o bem duas léguas em redol:
Meio ano a lavoirar,
Outro meio ao anzol!

Meus patrícios cada qual
Tem o seu bote que é o seu casal.

Mas, o Oceano, o mar não anda bom:
Ondas são trambulhões, e trambulhões de som!

Ó mar, meu brutamontes,
Música, deixa ouvi-la da noitinha:
Eu quero ouvir o murmurar das fontes
Que a noite já se avizinha...

Afonso Duarte

2 comentários:

serenidade disse...

Joseph,

é tão bom ouvir o murmúrio das ondas do mar.... simplesmente maravilhoso e quando está sereno como se de um rio se tratasse, é magnífico ouvir a mensagem silenciosa que ele nos transmite. O mar faz-me sentir una com ele e com o Todo:)

Um poema que me preenche

Já o adicionei no meu espaço:)

Serenos sorrisos

elvira carvalho disse...

O mar não anda bom, porque o homem não deixa. Com tanto petróleo derramado, mercúrio e outras coisas, o mar tem que andar mal.

Desde ontem de manhã até hoje ás 20 o meu pc, não me deixava entrar nos blogs nem comentar. Vá lá que me deixou usar o correio.
Um abraço e boa semana