sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Fenómeno climático "La Nina" inunda MOÇAMBIQUE...








70 mil desalojados e a água não pára…

As inundações do Rio Zambeze e afluentes, que duram desde Outubro, já fizeram dezenas de mortos, sendo três vítimas de ataques de crocodilos.

O Governo moçambicano activou o alerta vermelho devido às cheias no centro do país, que afectaram já 70 mil pessoas, e accionou o Centro Nacional Operacional de Emergência para coordenar operações de socorro e retirada de populações em risco.

A situação de cheias no centro de Moçambique vai piorar nos próximos dias, devido às descargas da Hidroeléctrica de Cahora Bassa e às chuvas nos países vizinhos, disse o porta-voz do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC), Bonifácio António.

O ministro da Administração Estatal indicou que a capacidade interna em meios humanos está já a ser usada na totalidade, situação que está a forçar as autoridades moçambicanas a reverem o seu plano de contingência. "Estamos, neste ano, a registar uma situação anormal em relação ao comportamento chuvoso. Nunca tivemos uma situação de, neste período do ano, termos quase todos os grandes rios que atravessam o país a transbordarem", disse Lucas Chomera.

"Os solos já estavam saturados e as chuvas vieram complicar a situação e tudo indica que teremos ainda grandes problemas", admitiu. Segundo dados oficiais divulgados em Maputo, a situação nas quatro Bacias Hidrográficas continua acima do normal devido às chuvas na Zâmbia, Zimbabué e Malaui, regiões de onde vem grande parte dos principais rios que atravessam Moçambique.

"Neste momento os rios Save, Búzi, Púngoe e Zambeze, apresentam níveis hidrométricos acima do nível crítico em quase todas as estações de observação".Na bacia do Save estão inundadas a sede do distrito de Machanga e a vila de Nova Mambone, no distrito de Govúro, enquanto na bacia do Búzi está inundada a vila do Búzi e na bacia do Púngoe, todas na região centro, estão alagadas extensas áreas dos distritos de Dondo e Nhamatanda, ameaçando cortar vias de acesso. Na bacia do Zambeze as inundações atingem algumas áreas dos distritos de Mutarara, Marromeu, Caia, Chinde e Mopeia. Em consequência das inundações nestas bacias, 70.000 pessoas já foram afectadas, das quais cerca de 13 mil estão nos centros de reassentamento e as restantes encontram-se temporariamente abrigadas em escolas ou outras instituições públicas.

A estação das chuvas ainda está no começo e as previsões não são famosas; segundo o director do Instituto Nacional de Meteorologia de Moçambique (INAM), Moisés Benesene, o pior ainda está para vir uma vez que os meses mais chuvosos custumam ser Janeiro, Fevereiro e Março. Com o número de mortos a subir e a situação humanitária a agravar-se, as ONG's organizações não-governamentais Oikos e Save The Children iniciaram campanhas de recolha de donativos, iniciativa partilhada também pela Cruz Vermelha.


Ricardo Teixeira

7 comentários:

Luz disse...

O clima está doido e a tendência é para piorar...

Jinhos com carinho

Sofy disse...

é verdade jo...este tempo ta todo maluco e parece k estas coisas so acontecem em zonas k sao muito pobres ate da dó ver uma coisas dessas...

um beijinho grande para ti

manuela disse...

É o pricipio do fim.
O ser humano maltrata o seu próprio lar.
São as consequências prováveis.
Que futuro este.

Bom fim de semana

Manuela

cõllybry disse...

Tudo o Humano altera,querido amigo...a roda desandou já ninguem a fará parar...o meu lamento

Doce meu beijo

Gazela disse...

Sorry!! :S

www.pedacinhosdagazela.blogspot.pt

Tem um link directo do espaço da gazela para lá!! Esta inpirada de tal forma que até queria que o blogger fosse português!! Enfin!!

Gazela disse...

Bolas... não tá fácil...

www.pedacinhosdagazela.blogspot.COM

Vou escrever 50 vezes como mando os meus alunos fazer... ai ai ai!! Shame on me!!

elvira carvalho disse...

O homem, brincou com a natureza, como se fora um Deus poderoso. A natureza mostra-lhe todos os dias que ele nada é.
Bom Domingo
Um abraço