sábado, 27 de outubro de 2007

Poema - 7


A LUZ DE UM POETA

Quero escrever um poema
mesmo que ninguém o leia,
mesmo que suas idéias se percam...
Eu quero escrever um poema!
Simplesmente falar através dele
e revelar um pouco de mim:
das minhas lutas
e dos meus medos
ante os atrozes revezes da vida...
Da minha esperança,
que não quer me abandonar...
Quero falar do Amor:
que não tem idade,
e dos seus olhos bonitos,
como eu sempre sonhara
e que surgiu após a tempestade,
que ceifou muito da matéria,
mas que trouxe, com ela,
preciosas jóias do espírito...

Como é bom poder escrever,
contar, falar, através da folha de papel,
um pouco da trajetória de uma vida!

Uma Vida é como uma Luz acesa
a iluminar...
Um poeta é a vela que se dá,
se oferece ao mundo para queimar,
com prazer e paixão!
Suas palavras saem
e se soltam ao vento
de cada imaginação,
construindo pontes de significados,
distintos significados,
ligando conhecimentos,
acrescentando, modificando,
compondo, criando formas,
em cada mente que,
pelos pensamentos do poeta,
se deixar apaixonar.

Rita Palhares

2 comentários:

elvira carvalho disse...

Caramba joseph isso é que foi produtividade.
Belo poema.Fico envergonhada, mas parece-me que nunca tinha lido esta autora.
Um abraço

Anónimo disse...

OLÁ!
Fiquei Feliz por ter encontrado meu poema em teu blog.
Rita Palhares - orkut Rita Palhares
rita1799@terra.com.br
Paz e Luz