domingo, 14 de outubro de 2007

A menina KIM PHUC fugindo às bombas de Napalm


A foto da garota Phan Thi Kim Phuc, nua, fugindo de seu povoado que estava sofrendo um bombardeamento de napalm, até hoje é lembrada como uma das mais terríveis imagens da Guerra do Vietnam.No momento em que a foto foi tirada, em 8 de junho de 1972, a vida de Kim Phuc, então com 9 anos, mudaria para sempre. Hoje, 35 anos depois, Kim Phuc é mãe, vive no Canadá, e é Embaixatriz da Boa Vontade da UNESCO.

Ela contou à BBC a sua experiência:

"Em 1972, os americanos lançaram uma bomba de napalm no meu povoado, no sul do Vietnam.Um fotógrafo, Nick Ut, tirou uma foto minha fugindo do fogo, a foto que hoje é tão famosa.Lembro-me que tinha 9 anos, era apenas uma menina. Naquela noite, nós do povoado havíamos ouvido que os vietcongues estavam vindo e que eles queriam usar a vila como base. Então, quando já era dia, eles vieram e iniciaram os combates. Nós estávamos muito assustados. Lembro-me que a minha família decidiu procurar abrigo num templo, porque nós acreditávamos que lá era um lugar sagrado. Nós acreditávamos que, se nos escondêssemos lá, estaríamos a salvo. Eu não cheguei a ver a explosão da bomba de napalm; só me lembro que, de repente, eu vi o fogo a cercar-me. De repente, as minhas roupas todas pegaram fogo, e eu sentia as chamas queimando o meu corpo, especialmente o meu braço esquerdo. Naquele momento, passou pela minha cabeça que eu ficaria feia por causa das queimaduras, que eu não ia mais ser uma criança como as outras. E,stava apavorada, porque de repente não vi mais ninguém perto de mim, só fogo e fumaça. Eu estava a chorar e, milagrosamente, ao correr, os meus pés não ficaram queimados.Só sei que comecei a correr, a correr, a correr... Como meus pais não conseguiriam escapar do fogo, decidiram voltar para o templo e continuar abrigados por lá. Então, eu atravessei o fogo.
O fotógrafo Nick Ut levou-nos para um hospital das redondezas. Assim que ele nos deixou lá, foi para uma sala escura revelar as fotos.Depois, disseram-me que eu e as outras pessoas feridas seríamos transferidas para o hospital de Saigão. Dois dias depois, meus pais encontraram-me no hospital, onde passei 14 meses. Os médicos fizeram-me 17 cirurgias para curar as queimaduras de primeiro grau. Metade do meu corpo ficou queimada. Aquele foi um momento decisivo na minha vida e, a partir daí, comecei a sonhar em como ajudar outras pessoas".

Basta ver a foto abaixo, para as pessoas entenderem o horror duma guerra. É Kim Phuc, em 2005.



(2º. Ícone fotográfico do Século XX)
pesquisa por bv

6 comentários:

Taty Ferreira disse...

Nossa, adorei esse post.

Coloquei até um link no meu blog!

Obrigada pelos e-mails viu!

Beijos

Joseph disse...

Taty, comentários assim até nos animam a tentar fazer mais e melhor.Vou tentar aperfeiçoar-me, viu!
Os e-mails também poderão ter feed-back se houver tempo para isso.
Obrigado.
Beijinhos.

elvira carvalho disse...

Vim do blog da Taty. Nem sei que lhe dizer. Eu lembro-me perfeitamente da foto. Não sabia se a menina tinha sobrevivido. Saber que não só se salvou mas que é essa mulher maravilhosa, a lutar por um mundo melhor, foi muito bom.
Obrigada pela partilha
Um abraço

Joseph disse...

Elvira,
Obrigado pelo comentário.
Eu escolhi, do século XX, 3 ícones fotográficos, faltando ainda postar um, que quero ver se o faço hoje.
Já me visitou, e eu vou fazê-lo também.
Até lá...rsrs (penso que é risos!...)
2 beijinhos amigos.

serenidade disse...

Joseph.
Não consigo dizer mais nada do que que "há que ter força para enfrentar as contrariedades da vida, tal como a menina KIM PHUC o fez"

Serenos sorrisos

Norton Cash disse...

Nossa!! eu já tinha visto essa fotografia varias vezes e nem sabia o que tinha acontecido, o bom é saber que a menina sobreviveu.
Apesar de ser triste o post é muito bom para as pessoas saber o que pode acontecer em uma guerra.
O foda é que quando somos pequenos achamos que os heróis são são aqueles soldados americanos e quando crescemos ficamos sabendo que em guerras não existe heróis.

Obrigado beijos até mais.