terça-feira, 30 de outubro de 2007

O que é o pânico?

(Falemos de coisas sérias:)

Em linguagem psicológica, falamos da ansiedade do desempenho: do medo de ser julgado (negativamente) pelos outros, de fracassar ou de cair no ridículo, sobretudo quando estamos perante um grupo. Fazer uma apresentação numa conferência, participar numa reunião de pais na escola dos filhos, pode tornar-se um pesadelo, a não ser que o pânico se "dilua" na sequência dessa intervenção, que diminua logo que se começa a falar ou a agir.
Na verdade, temos tudo a ganhar se o considerarmos um aliado, dado que a adrenalina, libertada pelo sentimento de urgência que o pânico faz despontar, funciona como um motor de arranque do intelecto e um activador da eloquência. Rapidamente, o pânico torna-se um trunfo retórico. Graças a ele, eis-nos hiperestimulados, a caminho das nossas melhores performances.
O pânico fomenta o perfeccionismo. E até certo limite, é totalmente benéfico. O mais importante é não nos deixarmos envolver numa "panela de pressão" em busca da máxima perfeição. Porque a dada altura, o "vapor" inverte-se e a pressão afecta o nosso desempenho.

Véronique Houguet

1 comentário:

elvira carvalho disse...

Já há muitos dias que não vinha cá. O tempo não me dá para nada.
Pânico. Este post chamou-me a atenção porque eu já sofri dois ataques de pânico. Graças a Deus que com muitos anos de diferença. Espero e desejo não ter mais nenhum. No Sexta-feira, eu publiquei a minha experiência, salvo erro em Agosto.
Um abraço