quinta-feira, 6 de novembro de 2008

A vergonha de uma classe!!!...- Parte 2.




Sábado, Março 20, 2004

Badaró

Há alguns meses tinha lançado a pergunta. Agora, graças a uma colaboração com a TV7Dias, respondemos a essa e a muitas outras questões, numa entrevista exclusiva com o maior comediante de todos os tempos, o único, o inimitável, Badaró!


O Período – Boa tarde Badaró, o que é feito de si?
Badaró – Decidi afastar-me da televisão e tenho andado entretido com outras coisas.
O Período – Com o quê?
Badaró – Olhe, tive uma trombose, por exemplo.
O Período – Ah, então não está a tentar engatar-me utilizando um esgar sexy, está é com uma semi-paralisia facial.
Badaró – Correcto, e também com um pouco de gases.
O Período – E esse look Pai Natal, quando decidiu adoptá-lo?
Badaró – Tive uns tempos no Iraque e o Saddam aconselhou-me o barbeiro dele.
O Período – Estou a ver. Posso concluir que tem viajado muito.
Badaró – De facto tenho, mas verdade seja dita que quanto mais viajo mais saudades tenho de Portugal.
O Período – Sim, tenho de concordar que temos um belo país.
Badaró – Não é isso, simplesmente ainda não consegui achar outro povo tão patego como o português, que me pague para fazer humor.
O Período – O Badaró para além de grande humorista, também tem uma faceta Júlio Isidro. Lançou jovens talentos, como foi o caso, por exemplo, da Ana Malhoa.
Badaró – Sim, devia uns cobres ao José Malhoa. Mas a Ana também desde cedo mostrou ter um grande potencial – ao finalizar esta frase Badaró emite o som hubba hubba, enquanto se baba ligeiramente.
O Período – Há quem diga que Badaró para além de ter "apadrinhado" a Ana, também a acompanhou ao longo da sua carreira. Existem mesmo rumores que você era o Boiréré.
BadaróNão comento.
O Período – Acho que os seus fãs gostariam de saber a verdade. Existiam pouco humoristas em Portugal com qualidade necessária para encarnar uma personagem como o Boiréré.
Badaró – Só posso adiantar uma coisa. Muuuuuuuu!!!!
O Período – Por falar em grandes personagens. Chinesinho Limpopó o que é feito dele?
Badaró – Agladeço a lemblança.
O Período – (risos)
Badaró – Obligado!
O Período – (ainda mais risos)
Badaró – Obligado!
O Perído – Ok, já chega.
Badaró – O Pelíodo.
O Período – Adiante. Hoje em dia, na sua opinião, quem são os melhores humoristas nacionais?
Badaró – O humor nacional, desde a minha saída de cena, ficou praticamente sem ícones. Existia o Camilo, mas ultimamente também tem andado desaparecido.
O PeríodoAh! O grande Camilo, claro. E o Herman?
Badaró – O Herman acomodou-se e ainda por cima agora virou loiro.
O Período – Toda a gente sabe que as tias perto dos 50 ficam loiras. Para terminar esta nossa entrevista, projectos futuros?
Badaró – Estou em negociações com o Francisco Penim, para que a SIC Radical passe algumas das minhas séries mais conhecidas como Badarosíssimo, ou o Grande Pagode, onde pontificavam personagens como Abreu Dá Cá o Meu ou mesmo o Chinesinho.
O Período – Ahhhhh, nostalgia...

(Fim)

(escorrido por Loretta/Blog O Período)

3 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Bom fim-de-semana!

Anónimo disse...

Mesmo com uma trombose estava muito lúcido para a idade.
Até sempre badaró.
Bom fim de semana
MAnuela

Avid disse...

Grande badaro!!!
Bjs meus