terça-feira, 11 de novembro de 2008

"Condenada" por adultério depois de violada ?!...



RAPARIGA APEDREJADA NA RUA ATÉ À MORTE

A UNICEF revelou no dia 5, que uma adolescente de 13 anos, foi apedrejada até à morte, em plena praça pública, após ter sido condenada por um tribunal regido pela lei corânica, na Somália.

Aisha Ibrahim Dhuhulow foi apedrejada por uma multidão, durante uma execução pública que se seguiu a ter sido declarada culpada por um tribunal islâmico da cidade de Kismayo, liderada pelo líder islamita Hassan Turki, no Sul da Somália.
A vítima foi violada por três homens quando se deslocava para visitar a avó.
"Depois da agressão, ela procurou a protecção das autoridades, que a acusaram de ADULTÉRIO e a condenaram à morte por apedrejamento", noticiou o Fundo das Nações Unidas para a Infância, da Unicef.

"Trata-se de um incidente trágico e lamentável. Uma criança é duplamente vítima, primeiro dos autores da violação e depois daqueles que administram a Justiça", denunciou o representante da UNICEF para a Somália, Christian Balslev-Olesen.

Até quando estas barbaridades continuarão a ser permitidas?...
---------------------------------

Eu não consigo perceber...
---------------------------------

Jor24h/6.11.2008/Net/joseph

6 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Que horror, isso é a violação dos direitos humanos e das crianças!

Manuela disse...

Nem há palavras para justificar tal acto, já Jesus parou no seu tempo uma coisa destas e passados 2000 anos continuamos os mesmos de sempre.
Detesto humanos.
Que venham os extraterrestres já comandar isto.

Verdinha disse...

estou em choque. esses que governam a justiça é que precisavam de levar umas pedradas na cabeça :s

Manuela disse...

Amigo va lá participar numa coisa no meu blog.
Se quiser claro.
Beijinho
Manuela

elvira carvalho disse...

Uma barbaridade que quase nos custa a acreditar. Como é que uma religião pode permitir estes desmandos?
Um abraço

Serenidade disse...

Custa tanto acreditar que coisas destas ainda acontecem no século XXI...

Uma lástima...

Serenos sorrisos