quinta-feira, 28 de maio de 2009

SR. CADILHE: 55.500€ por dia de vencimento?!...



Miguel Cadilhe esteve apenas seis meses na presidência do BPN mas recebeu 10 milhões de euros de pagamento, pelos serviços prestados (ou seja, 55.500€ por dia).

O buraco financeiro do BPN é de cerca de dois mil milhões de euros e o Estado vai ter de assumir a maior parte deste prejuízo (indirectamente está a dizer-se que é o ZÉ POVINHO que vai ter que pagar...). Apesar desta realidade, o último presidente do BPN antes da nacionalização recebeu 10 milhões de euros por apenas seis meses de trabalho.

Comentários dos Deputados:

Ricardo Rodrigues, do "PS", diz que, quando um banco se encontra em situação de falência, a lei permite anular pagamentos que "tenham sido ruinosos para os bancos nos últimos três anos".

Nuno Melo, do "CDS-PP", diz-se "chocado" com os valores em causa, mas realça que as condições apresentadas por Cadilhe para aceitar o cargo foram aceites pelos accionistas.

Honório Novo, do "PCP", espera que se possa "reverter" a situação ao abrigo da lei porque se tratou de "um negócio entre accionistas desesperados e em guerra com Oliveira Costa".

João Semedo do "BE" defende a "responsabilização dos accionistas do banco" e Hugo Velosa, do PSD, considera que não há lugar a devolução porque a decisão final foi dos accionistas.

Mas mesmo que o pagamento a Miguel Cadilhe seja anulado, o gestor continuará a receber uma reforma(?) de montante equivalente, por parte do BCP, banco onde foi administrador.


Post Scriptum: Não haverá aqui zeros a mais? A ser assim esta noticia provoca-me vómitos. Com licença....

SEM MAIS COMENTÁRIOS...

Fontes: SIC/28.05.09/Net/Joseph

3 comentários:

elvira carvalho disse...

E depois falam em crise. A crise é só para nós.
Deixo um abraço e votos de uma óptima semana.

M@ disse...

A crise...a crise...será que existe mesmo?
Eu aqui em Lisboa vejo sempre todos a comprar tudo.
Agora até abriu o maior centro comercial da Europa, e está sempre cheio todos os fins de semana.
Eu ainda nem coloquei lá os pés nem quero, já tenho centros que cheguem por aqui.
Desejo uma boa semana
MAnuela

nuvem disse...

Realmente quase seria inacreditável, não estivéssemos em Portugal...

Beijinhos